Lula ataca Moro e Lava-Jato em discurso após soltura: 'Lado podre da Justiça'

Ao deixar, nesta sexta-feira (8), a prisão, após passar 580 dias em uma cela improvisada da Polícia Federal de Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva centrou fogo na força-tarefa da Lava-Jato, acentuou a sua oposição ao Governo do presidente Jair Bolsonaro e deu sinais de que pretende voltar ao cenário político com viagens pelo País. Poucas horas depois, o petista adotou tom mais leve em vídeo publicado nas redes sociais. Disse que quer “construir um País melhor” e que não vai “ficar falando mal” de Bolsonaro.
Condenado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro relacionados a reformas feitas em seu benefício pela Construtora OAS em um apartamento tríplex no Guarujá (SP), Lula é um dos quase 5 mil presos beneficiados por alteração da jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF), que agora não mais permite o cumprimento automático de pena de condenados em duas instâncias judiciárias. A defesa de Lula havia recusado a progressão de pena para o regime aberto, considerando que, ao aceitar, o ex-presidente estaria concordando com sua prisão.
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: