Laudo aponta falhas na instalação elétrica e no telefone de aluno que morreu ao atender celular em escola de Tianguá

O laudo pericial sobre o caso do estudante morto após receber descarga elétrica ao usar o celular enquanto o carregava em um computador, em uma escola particular de Tianguá, no interior do Ceará, concluiu que havia falhas na instalação elétrica do local e também no isolamento do aparelho celular, que estava danificado. O laudo foi divulgado nesta segunda-feira (20).

Iago Bastos Mendes, de 16 anos, morreu após receber uma descarga elétrica ao atender o próprio celular, que estava carregando, no último dia 7 de junho. O jovem carregava o aparelho telefônico no computador da escola, durante uma aula de informática, quando pegou o objeto e foi eletrocutado. Ele chegou a ser socorrido ao Hospital e Maternidade Madalena Nunes, em Tianguá, mas não resistiu.

De acordo com a Perícia Forense, a vítima recebeu duas cargas elétricas, sendo uma de maior intensidade e com duração aproximada de dezoito segundos. A corrente de eletricidade atingiu o corpo do estudante através do celular e da estrutura metálica da bancada onde ele estava. “Fechamento do circuito através do seu corpo se deu por meio do celular que se encontrava na sua mão esquerda e a estrutura da bancada metálica onde a vítima estava em contato através do membro inferior esquerdo”, diz o laudo.
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: