Presidente da Câmara critica demora de Bolsonaro em sancionar auxílio emergencial

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, criticou nesta terça-feira (1º) o prazo definido pelo governo para começar a pagar o auxílio emergencial de R$ 600 para pessoas de baixa renda, incluindo trabalhadores informais.
 Reprodução
Maia afirmou que a data escolhida pelo governo não parece condizer com a situação de emergência causada pela pandemia. "Se é um apoio emergencial, 16 de abril não parece tão emergencial para os brasileiros que estão precisando", disse.
O auxílio foi aprovado pelos deputados na semana passada e na segunda-feira (30) o Senado aprovou, faltando apenas a sanção do presidente Bolsonaro. Jair vetou três trechos do projeto e prometeu assinar assim que os trechos forem editados.
ENTENDA O AUXÍLIO EMERGENCIAL
Voucher visa amenizar o impacto econômico provocado pela crise do novo coronavírus
Qual era a proposta inicial do governo:
- Auxílio mensal de R$ 200 mensais durante três meses para trabalhadores informais, desempregados e microempreendedores individuais que integrem família de baixa renda.
- A medida alcançaria até 20 milhões de pessoas, com custo de R$ 15 bilhões ao Tesouro Nacional
Como ficou:
- R$ 600 ao mês por benefício
- Valor pode subir a R$ 1.200 para mulher chefe de família
Quem pode receber:
- Microempreendedores individuais, contribuintes individuais, desempregados e trabalhadores informais inscritos no Cadastro Único até 20 de março
- Demais terão que fazer autodeclaração em plataforma digital
- O auxílio só será concedido àqueles que tiverem renda mensal per capita de até meio salário mínimo ou renda familiar até três salários mínimos
Quem não pode receber:
- Pessoas que recebem aposentadoria, seguro-desemprego ou são beneficiárias de outra ajuda do governo
- Também não pode fazer parte de programa de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família
Como funciona:
- Até dois membros da família terão direito ao auxílio
- Se um deles receber o Bolsa Família, terá de optar pelo mais vantajoso
- Mães solteiras receberão duas cotas
- O benefício será pago por três meses
- Estimativa de beneficiados: 54 milhões de pessoas
Custo ao Tesouro: R$ 98 bilhões
Cronograma ainda não foi oficializado.
Ordem dos pagamentos:
1) Beneficiários do Bolsa Família devem receber a partir de 16 de abril. Ministério tenta antecipar para dia 10.
2) Pessoas com dados no Cadastro Único para programas sociais
3) Microempreendedores individuais e autônomos que contribuem ao INSS
4) Trabalhadores informais e desempregados fora da base de dados do governo

Como será feito o repasse:
- bancos federais, como Caixa Econômica, Banco do Brasil, Basa e BNB
- lotéricas e Correios também darão suporte
- governo pede para que pessoas não procurem as agências ainda
- a forma de distribuição do voucher ainda está em desenvolvimento
- governo trabalha para que não haja necessidade de deslocamento às agências ou lotéricas
- para as pessoas fora da base de dados do governo, uma vez feita a autodeclaração, as informações serão validadas pelo Ministério da Cidadania que, então, vai liberar o pagamento
- é possível que a Caixa envie os valores para o banco do declarante sem cobrar tarifa por isso, como ocorreu no saque do FGTS
Diário Online
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: