Comissão não vai anistiar policiais amotinados

Membros da comissão formada pelos poderes legislativos, executivo e judiciário afirmaram que não há a possibilidade de anistiar os PM’s amotinados. Com a decisão, segue o impasse quanto ao fechamentos dos acordos que visam encerrar a paralisação de parte dos policiais militares.
(Foto: Camila Lima)
No total, 18 pontos de negociação foram apresentados pela categoria. Porém, a anistia administrativa e criminal é o ponto crucial da reivindicação dos policiais para encerrar o motim. Enquanto isso, chega a 195 o número de homicídios em apenas sete dias. O número representa um aumento de 57% em relação aos casos registrados durante a última paralisação de PMs no Ceará, em 2012, de acordo com informações do portal G1.
Como contraproposta ao pedido de anistia, a confirmou afirmou aos policiais amotinados que não haveria “expulsão sumária”. “Nós oferecemos todo o acompanhando da OAB, da Defensoria, de todos os órgãos aqui presentes, o amplo direito à defesa e ao contraditório. Em palavras mais simples: não haverá perseguição”, afirmou o procurador-geral de Justiça do Ceará Manuel Pinheiro Freitas.
Membros da comissão afirmaram também que enfrentam um impasse para dar continuidade aos diálogos porque os policiais nomearam o ex-deputado federal cabo Sabino, que tem mandado de prisão em aberto por suspeita de liderar o motim da Polícia Militar, como representante da categoria.
ANC

CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: