Adeus, querida Globo



O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) prometeu duas questões na área da radiodifusão: 1- regular a mídia e 2- encerrar o oligopólio da Rede Globo. 

Dito isto, um dos nomes cotados para ser o coveiro da emissora dos Marinho é o paranaense Murilo Hidalgo, diretor-presidente da Paraná Pesquisas. Ele seria o próximo ministro das Comunicações e da Comunicação da Presidência da República a partir de 1º de janeiro de 2019.

Se a Globo cai, por óbvio, subirá como “TV oficial” do Palácio do Planalto a Rede Record cujo dono, bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, declarou apoio a Bolsonaro desde o primeiro turno.

Foi a Globo quem cavou a própria cova, ao criar o Coiso e amplificar o discurso antipetismo e de ódio.

Após 60 anos, adeus querida Globo.
29 de outubro de 2018 | por Esmael Morais .
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: