Sem apelo popular chapa Haddad-Manuela preocupa PT

O desenho de uma chapa formada por Fernando Haddad (PT) e Manuela D´Ávila (PCdoB) para a disputa à Presidência da República preocupa setores do PT em razão do perfil dos dois candidatos, considerados pouco populares. Há temor de que Haddad, com seu jeito acadêmico e "cara de tucano", como já disse o ex-presidente Lula, e Manuela, com seu discurso feminista, tenham dificuldade para falar ao eleitor pobre, que sofre efeitos mais duros da crise econômica e que a sigla pretende alcançar.

As pesquisas de intenção de voto mostram que a vantagem obtida por Lula sobre seus adversários é impulsionada justamente pela base da pirâmide social, principalmente no Nordeste. O desafio dos petistas, quando o plano B estiver sacramentado, será convencer esse eleitor a votar em dois candidatos originários da classe média e do Sul-Sudeste. Haddad é paulista e Manuela, gaúcha.

— Essa é uma chapa ideal para disputar o centro acadêmico da USP — ironizava um petista, na noite de sexta-feira quando ainda não havia sido batido o martelo sobre o plano do PT.

A avaliação é que Haddad terá que se adaptar e tratar mais dos problemas reais da população, assim como costuma fazer Lula em seus discursos, e deixar de lado questão estruturais de economia. Manuela, por sua vez, vai precisar ir além das questões de gênero.

— Nosso eleitor é o pobre que está na favela, que sofre com o preço do botijão de gás. As questões de gênero são importantes, mas essa não é um tema primordial para essas pessoas no momento — afirma outro petista.

Fonte: O Globo
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: