Professores de Jardim iniciam greve por tempo indeterminado por falta de proposta da prefeitura


Professores deste município confirmaram na manhã desta quarta (7) a greve anunciada após assembleia no último dia 28. A paralisação acontece após a categoria não ter recebido propostas da prefeitura às principais reivindicações acerca da remuneração da classe. 

Junto ao prefeito, eles pleiteiam o pagamento de 1% da progressão e de 20% aos professores com polivalência plena. Para a Presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Jardim (SINDJARD), Francisleia Filgueira o motivo principal da paralisação é a retirada de 20% da gratificação que, de acordo com os professores, é repassada há 10 anos.

Agora em greve, os professores se reuniram com pais de alunos para explicar a situação e os motivos principais da paralisação. Ainda segundo representantes do movimento, os estudantes não terão prejuízos ao final do ano letivo, e a carga horária de 200 horas estabelecida no plano de ensino será reposta após o fim da greve.

O Miséria tentou contato com a Secretária de Educação de Jardim, Inês Sampaio Aires por três vezes. As ligações não foram atendidas nem retornadas até a publicação desta matéria. Em conversa com a responsável pela pasta no último dia 28, o site foi informado de que a prefeitura não reconhecia a legalidade da greve.

A folha de pagamento dos 378 educadores de Jardim, sem a redução de 20% que passará a vigorar em março, custa entre R$ 1,1 e R$ 1,2 milhões.
Do site: MISÉRIA.



CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: