» » Piloto de Brasília morre em queda de voo de parapente em Quixadá (CE)


O piloto de voo livre Ney Albert Murtha, de 46 anos de idade, natural de Brasília (DF), morreu durante um voo de parapente, na última sexta-feira (20), na Serra do Urucum, no Distrito de Juatama, na zona rural deste Município.

A vítima havia acabado de decolar da rampa, a pouco mais de mil metros de altura, quando a vela do parapente fechou diante da formação rochosa. A queda livre foi de uma altura de aproximadamente 100 metros, segundo uma testemunha do acidente, o morador João da Silva Neto, que estava assistido aos voos.

Várias equipes de resgate dos próprios pilotos seguiram para o local de mata fechada onde o corpo se encontrava. A Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Corpo de Bombeiros de Quixeramobim foram acionados logo em seguida. Entretanto, quando os socorristas chegaram, o piloto já estava morto. Na queda, ele sofreu traumatismo cranioencefálico.

Outros pilotos, amigos de Murtha, também compareceram ao local do acidente e informaram que era o último voo do brasiliense nesta temporada. Ele havia chegado em Quixadá há duas semanas e tinha mais de 18 anos de experiência em voos com parapente. "Murtha estava feliz, apesar dos ventos fracos em Quixadá. Ele resolveu testar uma vela nova. Ainda não entendemos o que provocou o acidente", comentou um piloto, que preferiu não se identificar.

O secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo de Quixadá, Pedro Baquit, que também seguiu ao local do acidente com membros da Associação de Voo Livre do Sertão Central (AVLSC), informou que estava programado, para o próximo domingo (22), a abertura oficial da temporada de voo livre com um café da manhã especial para os pilotos, na rampa do Urucum. Há duas décadas, nesta época do ano, pilotos de parapente viajam de todos os cantos do mundo para Quixadá, conhecida como 'Havaí do voo livre'. "Será um momento de homenagem póstuma", acrescentou Baquit.

O corpo do piloto foi recolhido pela equipe do Núcleo de Perícia Forense (Pefoce) de Quixeramobim. Os amigos da vítima auxiliarão no translado do corpo para o Distrito Federal, onde ele residia com a esposa e três filhos. Murtha era engenheiro da Agencia Nacional de Águas (ANA).

(Colaborou Alex Pimentel)

Sobre Ivanildo Souza

Ivanildo Souza falará em breve algo pra você, aguarde!
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe seu comentário

AQUI VOCÊ VÊ E SEUS CLIENTES TAMBÉM.

AQUI VOCÊ VÊ E SEUS CLIENTES TAMBÉM.

ANUNCIE AQUI ! ACREDITEM NO CRESCIMENTO DE POTENGI!