‘Enorme prejuízo’, critica governador do Ceará sobre saída de cubanos do programa Mais Médicos

O governador do Ceará, Camilo Santana, criticou, na manhã desta sexta-feira (16), a saída dos profissionais cubanos do programa Mais Médicos, criado durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff. A declaração foi publicada no perfil oficial do governador dois dia após o Ministério da Saúde Pública de Cuba anunciar a decisão de deixar o programa.
Na última quarta-feira(14), o presidente eleito Jair Bolsonaro informou que o governo cubano decidiu deixar o programa Mais Médicos por não concordar com testes de capacidade.
Conforme Camilo Santa, “isso [saída dos médicos] deverá causar um enorme prejuízo, principalmente em alguns municípios onde os médicos cubanos desempenham importante papel nas unidades básicas de saúde”.
O Ceará deve perder 448 profissionais cubanos que, atualmente, trabalham em 118 municípios. O efetivo representa 36% dos médicos atuando pelo Programa no Estado.
Camilo Santana critica a saída do programa Mais Médicos  — Foto: Reprodução/Facebook Camilo Santana
Foto: Reprodução/Facebook Camilo Santana
A decisão de sair do país foi anunciada pelo governo cubano após o presidente eleito anunciar mudanças no projeto do governo consideradas “inaceitáveis” por Cuba. O governo cubano atribuiu a decisão a “declarações ameaçadoras e depreciativas” de Bolsonaro.
O presidente eleito afirma que Cuba não quis aceitar condições para continuar no programa. Bolsonaro questionou a preparação dos especialistas e condicionou a permanência deles no programa a um teste de capacidade por meio do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida).
O país caribenho solicitou o retorno dos mais de 8 mil médicos cubanos da cooperação internacional no Brasil atualmente.

Substituição

Nesta sexta-feira, o Ministério da Saúde informou que a seleção de médicos brasileiros para ocuparem as vagas que serão deixadas pelos profissionais cubanos do programa Mais Médicos ocorrerá ainda neste mês de novembro. Pouco mais da metade dos 16 mil participantes do Mais Médicos são de Cuba.
De acordo com o Ministério da Saúde, a formulação do edital para substituição dos médicos cubanos será finalizada ainda nesta sexta, durante reunião com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).
Com informação do G1
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: