Avaliação negativa do governo Bolsonaro dispara e passa de 43%

Os brasileiros estão cada vez mais insatisfeitos com o governo do presidente Jair Bolsonaro  (sem partido). Segundo pesquisa CNT/MDA divulgada na manhã desta terça-feira (12), a avaliação negativa subiu 12,4 pontos percentuais, de 31% para 43,4%, entre janeiro e maio deste ano.

A avaliação do governo Bolsonaro é diferente da avaliação pessoal de Jair Bolsonaro | Foto: Sérgio Lima/PODER 360

O estudo foi contratado pela Confederação Nacional dos Transporte. Duas mil e duas pessoas foram ouvidas por telefone, entre os dias 7 e 10 de maio, em mais de 490 municípios brasileiros. O levantamento mostra os índices de popularidade do governo e também do próprio presidente Jair Bolsonaro.

A pesquisa tem avaliação positiva que considera os índices de "ótimo" e "bom"; a avaliação negativa, as somas de "ruim" e "péssimo". Os maiores saltos aconteceram nos dois extremos: os que avaliam como ótimo o governo (de 9,5% para 14,3%, fora da margem de erro) ou péssimo (de 21,5% para 32,3%).

Avaliação do governo do presidente Bolsonaro em maio de 2020:

Ótimo: 14,3% (eram 9,5% em janeiro de 2020)

Bom: 17,7% (eram 25% em janeiro de 2020)

Regular: 22,9% (eram 32,1% em janeiro de 2020)

Ruim: 11,1% (eram 9,5% em janeiro de 2020)

Péssimo: 32,3% (eram 21,5% em janeiro de 2020)

Não sabe/não respondeu: 1,7% (eram 2,4% em janeiro de 2020).

A avaliação do governo Bolsonaro é diferente da avaliação pessoal de Jair Bolsonaro. Essa última analisa apenas o desempenho do presidente, e não do governo como um todo. Na pesquisa divulgada hoje, 55,4% dos entrevistados desaprovam o desempenho pessoal de Bolsonaro. Outros 39,2% aprovam. Em janeiro, a aprovação pessoal de Bolsonaro era de 47,8%. A desaprovação era de 47%.

Aprovação do desempenho pessoal do presidente Bolsonaro em maio de 2020:

Aprova - 39,2% (eram 47,8% em janeiro de 2020)

Desaprova - 55,4% (eram 47% em janeiro de 2020)

Não sabe/não respondeu - 5,4% (eram 5,2% em janeiro de 2020).

Confira aqui  a pesquisa na íntegra. 

Com informações do portal UOL


CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: