Alimentos saudáveis contribuem para o fortalecimento do sistema imunológico


Uma boa imunidade não impede a contaminação pelo novo coronavírus. Ainda assim, cuidados com a saúde evitam visitas a postos de saúde, clínicas, UPAs e hospitais em casos menos urgentes. Os cuidados que todos cearenses aprenderam a ter incluem atividades físicas, cuidados com a saúde mental, ingerir pelo menos dois litros d´água por dia e uma alimentação saudável para combater possíveis ameaças. O sistema imunológico é a porta de entrada contra intrusos colocando nossa vida em risco.

Apesar de já nascermos com essa defesa, a nossa imunidade só atinge maturidade por volta dos 12 anos e volta a apresentar “brechas” nos idosos. O consumo de álcool, o hábito de fumar e distúrbios genéticos são ainda outros complicadores que favorecem infecções por bactérias, fungos, vírus e parasitas sob determinadas circunstâncias. E é bom lembrar: o isolamento social e os cuidados com a higiene pessoal são a melhor forma de evitar a contaminação por um vírus que ainda se conhece tão pouco.

 

Se a questão é permanecer saudável, a ingestão de água e de alimentos ricos em ferro e vitaminas C e D ajuda e muito. “O ferro e a vitamina C são importantes para diversas funções do organismo acontecerem de forma positiva, como na produção de células de defesa e transporte de oxigênio pelos vasos sanguíneos”, explica a nutricionista Débora Melo. “Por outro lado, 60% do nosso corpo é feito d´água e o bom funcionamento fisiológico depende dela: da proteção ao cérebro à digestão”.

 

“Diminuir o consumo de alimentos industrializados, refinados e ricos em açúcares e gordura trans são outras orientações que deveríamos ter conosco. Alimentos industrializados e ricos em conservantes, geralmente, passam por processos físicos, químicos ou ambos, o que acaba modificando a estrutura dos nutrientes e tornando os alimentos menos benéficos”, justifica Débora. “É também extremamente indicado o consumo de sucos e os chás precisam de orientação médica no caso das gestantes”.

 

Por fim, os exercícios físicos precisam seguir orientação profissional e evitar doces e massas não precisa se transformar numa preocupação constante. “O problema está na quantidade e na frequência do consumo. Em breve, a rotina retornará ao normal e será mais difícil se manter em equilíbrio caso exagere agora. Experimente fazer receitas mais saudáveis durante a semana e deixe para comer aquela guloseima, ou massa, só no final de semana”, finaliza a profissional do programa Mais Nutrição.


CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: