Amazônia possui quase 70 mil pessoas contaminadas e mais de 4 mil mortes por coronavírus

A pandemia do Covid-19 é uma realidade no Brasil e se torna cada vez mais preocupante na chamada "Amazônia Legal".

Composta pelos 7 Estados da Região Norte, Mato Grosso  e metade do Maranhão, a Amazônia Legal, em pouco mais de 2 meses de pandemia, possui 67.182 casos confirmados, segundo os balanços do Ministério da Saúde e Secretarias de Saúde dos Estados até a noite da última terça-feira (19).

A situação é considerada crítica no Amapá, com  4.310 casos e 136 mortes em uma população de menos de 700 mil pessoas.

 A situação é considerada crítica no Amapá, com 4.310 casos e 136 mortes em uma população de menos de 700 mil pessoas. | Divulgação.

Destes casos, 4.075 resultaram em mortes dos pacientes. A previsão é que até o fim da semana, no sábado (23), o índice de casos ultrapasse 70 mil e o de mortes, 5 mil.

No triste balanço, o Amazonas segue como líder no número de contaminados, com 22.132 pessoas com o novo coronavírus. No entanto, em relação ao índice de mortes (atualmente com 1.491 óbitos, em uma população de menos de 4 milhões) já foi ultrapassado pelo Pará, que, infelizmente, possui até o momento 1.554 vítimas fatais, em uma população de quase 8 milhões de habitantes.

A situação também é considerada crítica no Amapá. Com uma população de menos de 700 mil pessoas, o Estado já registrou 4.310 casos e 136 mortes, possuindo uma média de 509,6 casos por 100 mil habitantes, atrás apenas do Amazonas, com média de 534,0. No Pará, o índice é bem menor: 189,4 pessoas contaminadas a cada 100 mil moradores.

Na outra ponta da tabela, estão o Tocantins (1.646 casos e 38 mortes) e Mato Grosso (995 infectados e 32 óbitos), dois dos Estados que menos registraram contaminação no país.


CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: