Entenda como a combinação de álcool e energético pode levar à morte

Uma jovem, de 19 anos, morreu após ingerir cerveja com energético, na sexta-feira (1), em Londrina, no Paraná. O caso reforça o alerta dos médicos de não consumir bebidas estimulantes com álcool, principalmente, pessoas que possuem algum histórico de problema cardíaco, como era o caso de Isabella Bueno. 
O médico cardiologista Fernando Costa, Diretor de Promoção de Saúde da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia), afirma que a combinação de álcool e energético é perigosa logo no início do consumo. "O álcool na fase inicial é excitante, aumenta a frequência cardíaca, a pressão arterial, o tônus". 
Além disso, até mesmo as pessoas jovens podem ter uma doença cardíaca silenciosa. "Alteração da repolarização do coração não são vistas nos exames de rotina, são assintomáticas e muitas vezes só acontecem quando o coração é estimulado", destacou o especialista. 





Foto: Divulgação / Facebook
Isabella Bueno tinha 19 anos. Segundo a família, possuía histórico de problemas cardíacos. 

Bebidas energéticas são perigosas
Algumas bebidas estimulantes chegam a ter a quantidade de cafeína equivalente a cinco ou seis xícaras de café. Sendo assim, o uso às vezes excede aquilo que seria suportável por um coração normal. 
Arritmia 
A arritmia é uma falha nos impulsos elétricos do coração, podendo ocorrer como um efeito adverso dessa combinação. Ela surge na forma de palpitações, vibrações no peito, tontura, entre outros sintomas. Em muitos casos, não dá sinal e evolui para uma morte súbita. 
* Com informações do Portal R7 
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: