Bolsonaro é desmentido sobre empresas que deixarão Argentina e apaga publicação

Os principais jornais argentinos estamparam como manchete na manhã desta quarta-feira (6), em suas páginas web, a postagem em uma rede social do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro.
Marcos Corrêa/PR
A publicação feita no Twitter dizia: "MWM, fábrica de motores americanos; Honda, gigante dos automóveis; e L'Oréal anunciaram fechamento de suas fábricas na Argentina e sua instalação no Brasil", insinuando que a vitória do kirchnerismo seria a razão.


A notícia causou alarde na Argentina, sendo o destaque dos noticiários matutinos.
No Clarín, o título principal, às 8 horas era: "Bolsonaro anunciou que três empresas fecham fábricas na Argentina para irem ao Brasil".
No La Nación: "Bolsonaro diz que três multinacionais fecham na Argentina".
Em pouco mais de uma hora, porém, a postagem sumiu.
Ouvidas, as empresas negaram a informação. "A Honda não está fechando sua fábrica na Argentina, mas sim manterá suas operações no país como estava previsto. A partir de 2020, concentrará sua produção na linha de motocicletas. A divisão de automóveis também continuará no país com os modelos provenientes do exterior."
Já a fábrica de motores MWM Argentina, sim, fechou sua fábrica em Córdoba no mês passado, mas afirma que isso não tinha relação com a vitória do kirchnerismo nas eleições e que seriam mantidas, na Argentina, a assistência técnica e a distribuição de peças de reposição.
A L'Oreál afirmou não ter previsto o fechamento de nenhuma fábrica na Argentina.
FOLHAPRESS
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: