Após tremores de terra, Quixeramobim recebe rede para estudo de atividades sísmicas

Os técnicos do Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN) iniciaram nesta sexta-feira (29), a instalação de uma rede sismográfica local no município de Quixeramobim, no Sertão Central do Ceará.
A cidade, assim como o município vizinho de Boa Viagem, registrou pelo menos sete tremores de terra somente entre os dias 18 e 20 de março As magnitudes dos tremores variaram entre 1,5 e 2,9, na Escala Richter. Apesar dos abalos, não há registros de feridos.

Segundo o LabSis/UFRN, as duas primeiras instalações foram realizadas no distrito de São Joaquim e já estão em operação, tendo registrado os primeiros eventos. “Esperamos que os dados coletados possam esclarecer melhor onde está a área epicentral dos eventos que têm sido sentidos pela população”, afirmou o LabiSis/UFRN.

Ainda de acordo com técnicos do laboratório, a atividade sísmica continua na forma de microtremores, mas na última sexta-feira (29), por volta de 15h20, foi registrado um abalo de magnitude 1,5, acima do limiar de percepção costumeiro para eventos no Nordeste.

Tremores de terra
O LabiSis/UFRN voltou a observar novos tremores de terra em Quixeramobim entre os dias 24 e 26 deste mês. Os eventos de maior intensidade ocorreram no dia 26. O primeiro aconteceu às 10h25 e teve magnitude estimada em 1,8. O segundo evento, de magnitude 2,5, ocorreu três minutos depois. Esses eventos foram registrados por diversas estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN.

Histórico de tremor no Ceará
Em 20 de novembro de 1980, um tremor de terra atingiu a cidade de Pacajus, na Grande Fortaleza, com magnitude de 5,2. Nos anos seguintes, outros tremores foram registrados no estado. Um de magnitude 4,8 ocorreu no município de Irauçuba, em 1991.

Já no ano de 1997, também foi observada atividade sísmica de 3,2 dentro do reservatório do Açude Tucunduba, entre os municípios de Senador Sá e Marco.

Outro tremor forte foi sentido em Sobral, em 2009, chegando a 4,3 pontos na Escala Richter. O abalo provocou rachaduras em estruturas de concreto e derrubou móveis em residências e comércios. O tremor atingiu uma área de 200 quilômetros de raio e chegou a afetar cidades do litoral cearense, como Fortaleza.

Em outubro de 2017, um tremor de terra em Cascavel, de magnitude 3, causou fissuras em prédios, fez casas tremerem e assustou moradores.

Causa dos tremores
Segundo o Laboratório de Sismologia da UFRN, os tremores ocorrem devido a fossas subterrâneas que estão constantemente em atividade sismológica.

As fossas são das aligao encontro das placas tectônicas no Oceano Atlântico, que ligam a América do Sul ao continente africano. Os tremores também podem estar relacionados à atividade sismológica das placas tectônicas.

G1 Ceará
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: