Prefeitura de Solonópole alerta moradores para risco de rompimento de barragem particular

Na tarde desta sexta-feira (22) os moradores do Conjunto Cohab, uma área residencial localizada nas proximidades do Açude do Dráulio, em Solonópole, foram surpreendidos com um comunicado de alerta divulgado pela prefeitura deste Município do Sertão Central. A administração municipal anunciou na nota o possível risco de rompimento da barragem, podendo atingir as residências próximas ao leito do Riacho do Salgado.
A prefeitura não informou a capacidade hídrica do reservatório mas ressaltou ter realizado reparos juntamente com o proprietário do açude particular. Todavia, com as chuvas durante a semana na região a parede de barro ficou comprometida. Equipes estavam indo ao local para avaliarem e analisarem as alternativas cabíveis para solucionar o problema. Apesar do alerta a Nota informa não haver motivo para pânico.

A reportagem do Diário do Nordeste tentou manter contato telefônico com a Defesa Civil de Solonópole. Até a publicação desta edição as ligações não haviam sido atendidas.

Neste mês, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) já choveu 117,3 milímetros em Solonópole. A média é de 112,7 mm.

Ainda conforme a Funceme, ontem (22) choveu 4 mm no Município; na quarta-feira (20) foram 5 mm; na terça-feira (19) 14,8 mm e na segunda-feira (18) praticamente o mesmo volume, 14 mm.

Encontro da Aprece

Horas antes da divulgação do alerta, 15 prefeitos de municípios do Centro do Estado estiveram reunidos em Solonoóple. Eles participaram do primeiro Encontro Regional da Aprece. Conforme Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), o evento contou com a participação do secretário estadual do Meio Ambiente, Arthur Bruno. O presidente da Aprece, Nilson Diniz, prefeito de Cedro, coordenou o Encontro.

A reunião regional teve por objetivo aproximar os gestores municipais, estreitar as relações da Aprece com as diversas secretarias de Estado e discutir as grandes pautas municipalistas. O problema do risco de rompimento da barragem e nem a situação dos açudes cearenses foram discutidos no Encontro. O foco foi licenciamento ambiental, resíduos sólidos e mais flexibilidade do Tribunal de Contas do Ceará (TCE) com os critérios de gastos públicos.
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: