Exportação: construção de Casa de Mel ajudará Quixelô (CE) a obter certificação de produto orgânico

A prefeita Fátima Gomes visitou na última sexta-feira (15), na comunidade do Gaspar uma das duas casas de Mel que estão sendo construídas para beneficiar a associação de Apicultores. O secretário da SDA do município, Hélio Gomes e o técnico do Banco do Nordeste Antonio Carlos acompanharam a visita.
Cada casa custará R$ 110 mil e as duas juntas beneficiarão, direta e indiretamente, cerca de 200 pessoas. As casas de Mel são frutos de uma parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará, PRODETER, do Banco do Nordeste e Prefeitura de Quixelô (CE).

Para que o Município possa exportar o mel como produto orgânico ele precisa ser certificado e dentro das exigências para esta certificação é necessária a Casa de Mel. A previsão de entrega será para abril de 2019. A partir desta data inicia-se o processo de certificação.

A Apicultura no Estado do Ceará caracteriza-se, quase que exclusivamente, pela produção de mel de abelhas africanizadas (Apis mellifera L.). O mel cearense é um produto de boa qualidade e de bastante procura no mercado internacional, principalmente pelos países da Comunidade Europeia e Estados Unidos, principais importadores.

A atividade é rentável. Há apicultores que seguem as orientações técnicas e conseguem obter em uma colmeia 90 quilos de mel, que comercializados a R$ 8 dão uma renda bruta de R$ 720. Há produtores com mais de cem colmeias. Outros, considerados pequenos, obtêm em média R$ 5.000 por mês.

No Centro-Sul cearense a produção de mel de abelha estimada em 2016 foi de 250 toneladas e em 2017 foi de 350 toneladas. Neste ano, manteve a quantidade anterior. O mercado é favorável ao setor, que não atende à demanda. O Brasil produz cerca de 50 mil toneladas de mel de abelha por ano. Desse total, 52% estão voltadas para a exportação. Os dados são da Confederação Brasileira de Apicultores.

Prefeitura de Quixelô
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: