Governador do Ceará não irá à posse presidencial

Camilo Santana (PT) será o primeiro governador do Ceará a não comparecer a uma cerimônia de posse presidencial após 16 anos. O último a não participar da solenidade em Brasília foi Lúcio Alcântara, que não esteve na posse do ex-presidente Lula (PT) em 2003. Na ocasião, Lúcio era filiado ao PSDB, partido de oposição a Lula, situação semelhante à de Camilo Santana, que integra sigla de oposição ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).
A cerimônia de posse presidencial será na tarde de 1° de janeiro, às 15 horas no horário de Brasília e às 14 horas no horário local, mesmo momento em que deverá ter início a cerimônia de posse do governador e da vice-governadora, Izolda Cela (PDT). Segundo a assessoria de comunicação, não deve haver representante oficial do Governo do Estado em Brasília.

A solenidade de posse de Bolsonaro deve ocorrer mais cedo do que usualmente, a pedido do presidente eleito. Em anos anteriores, a cerimônia ocorria no fim da tarde. O objetivo era ter o maior número de governadores durante o evento, já que as posses estaduais costumam ser pela manhã.

No Ceará, as duas cerimônias de posse do ex-governador Cid Gomes (PDT), em 2007 e 2011, assim como a posse do primeiro mandato de Camilo Santana, em 2015, foram realizadas pela manhã. Ambos participaram das solenidades presidenciais, Cid em 2007 (segundo mandato de Lula) e 2011 (primeiro mandato de Dilma Rousseff), e Camilo em 2015 (segundo mandato de Dilma Rousseff). Segundo a assessoria de comunicação do Governo, no entanto, o horário para cerimônia de posse foi marcado "há muito tempo, mas não há motivo específico para mudança" de horário.
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: