Camilo pede que o Governo Bolsonaro seja o "grande maestro" no combate à violência junto aos estados

Durante encontro dos governadores eleitos e reeleitos com integrantes da equipe do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), nesta quarta-feira (12), em Brasília, o governador Camilo Santana (PT) cobrou que o novo Governo Federal seja o "grande maestro" na condução de uma pactuação nacional com os estados no combate à violência.
"É preciso criar um banco de dados. É preciso estar integrado com uma política nacional de segurança pública. Toda a responsabilidade da segurança recai hoje sobre os governadores", reclamou.

A reunião, cujo tema principal foi a segurança pública, contou com a participação do futuro ministro da Segurança Pública, Sérgio Moro, do vice-presidente eleito, general Mourão (PRTB), além do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), José Otávio Noronha, e do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamacchia.

Camilo Santana elogiou a criação do Sistema Único de Segurança Pública (Susp), "porque 100% do custeio, dos investimentos em segurança pública é dos governadores. Pra você ter uma ideia contratei 10 mil profissionais de segurança no Ceará e temos graves problemas". Por outro lado, o Chefe do Executivo Estadual pediu maior flexibilidade aos estados na hora de legislar.

"Quantas vezes nós aprovamos leis nas assembleias estaduais e foram derrubadas por liminar, porque não tínhamos a competência. É papel da União fazer isso. É preciso incorporar nesse debate o Poder Judiciário. 70% dos presos do Ceará são provisórios. É preciso rever essa política do sistema penitenciário, tem um controle maior", acrescentou.

Este é o primeiro encontro entre Camilo Santana e integrantes da equipe do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), neste ano. No último dia 14 de novembro, governadores eleitos e reeleitos encontraram com Bolsonaro para discutir as prioridades do próximo governo com os estados. Na ocasião, Camilo não pode comparecer, pois cumpria agenda institucional na Espanha.

Entre as propostas para a segurança, os governadores ressaltaram também a criação de um sistema integrado de proteção das fronteiras brasileiras, que deve seguir os moldes do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública do Nordeste, inaugurado na última sexta-feira (7), no Ceará. A ideia é promover compartilhamento de dados entre os estados para o combate ao crime.
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: