Site Miséria lembra 120 anos de Frei Damião


Frei Damião morreu há mais de 20 anos (Foto: Reprodução)
O Site Miséria lembra a passagem dos 120 anos de nascimento do frade capuchinho, Frei Damião de Bozzano, que transcorre nesta segunda-feira. Ele nasceu na aldeia de Bozzano, município de Massarosa (Itália) no dia 5 de novembro de 1898, sendo batizado com o nome de Pio Giannotti e morreu aos 99 anos no dia 31 de maio de 1997 em Recife (PE), onde foi sepultado no Convento de São Félix. Ele foi o criador da Hora da Graça que acontece toda quarta-feira na Igreja dos Franciscanos em Juazeiro.

Foram muitas as missões do religioso pelo Cariri sempre arrebatando multidões e, quando vinha pregar na terra de Padre Cícero, chegava a lotar a Praça das Almas no Santuário de São Francisco. Recentemente, a Comissão dos Teólogos da Congregação da Causa dos Santos, em Roma, deu parecer positivo à beatificação de frei Damião conforme noticiou o vice-postulador da causa, frei Jociel Gomes. Agora está sendo aguardado o parecer da Comissão dos Bispos e Cardeais.

A expectativa é que, até o fim deste ano, o processo esteja nas mãos do Papa Francisco, que é quem pode declarar o frade capuchinho venerável, por meio da publicação do Decreto de Vulnerabilidade. Depois disso, ainda será preciso comprovar um milagre ocorrido por meio da intercessão pós-morte de frei Damião para que ele seja reconhecido beato.

No Nordeste, muitos católicos vislumbram semelhanças entre Frei Damião e o Padre Cícero Romão Batista que morreu em 1934 quando Frei Damião já contava com 36 anos de idade e apenas 11 anos de sacerdócio. O frade sempre fazia referências ao sacerdote juazeirense nas suas homilias. Em Juazeiro são muitas as histórias de milagres e graças alcançadas junto a Frei Damião e, por aqui, esteve a comissão que cuida do processo de beatficação do mesmo tomando depoimentos.

No Santuário de São Francisco, onde ficava hospedado, costumava dar início às confissões pela madrugada e se formavam imensas filas para um contato direto com o paciente sacerdote. Ele era filho de camponeses e começou sua formação religiosa aos 12 anos na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos. Aos 19 anos foi convocado para o exército italiano e participou da Primeira Guerra Mundial. Depois, retornou ao convento e sua ordenação foi dia 25 de agosto de 1923 se transferindo oito anos após para Recife.
Fonte: Miséria.

CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: