Posto do Banco do Brasil de Potengi será entregue até o fim deste ano

Mesmo que a obra esteja pronta, a recomposição dependerá dos processos licitatórios. (Fotos: Antonio Rodrigues).

Potengi. 
Após pouco mais de um ano que sofreu o ataque de criminosos, a agência do Banco do Brasil de Potengi está sendo reconstruída. Dez homens trabalham nas obras que começaram no mês passado e devem ser concluídas até o final de 2018. Desde julho, as operações bancárias funcionam parcialmente em outro prédio. Já na unidade do Bradesco, que também foi vítima do assalto, as atividades acontecem normalmente.

A primeira etapa da obra contempla a parte interna, onde funcionava o atendimento presencial aos clientes. As paredes estão sendo refeitas, já que as explosões comprometeram sua estrutura. Já na segunda etapa, que ainda não foi iniciada, será reconstruído o espaço onde ficavam os caixas eletrônicos. Hoje, a estrutura apresenta rachaduras e parte do teto danificado. 

O telhado será refeito.

No entanto, o processo de recomposição vai depender das obras e intervenções necessárias. Os mobiliários, equipamentos e a própria segurança passam por um processo de licitação – legislação específica voltada para empresas estatais: Lei 8.666/1993 – para contratação de projetos arquitetônicos e de engenharia, assim como a aquisição de bens. Cada uma tem seu respectivo prazo.
Dez homens trabalham na reconstrução da agência de Potengi.

De acordo com o Banco do Brasil, só no Ceará, foram mais de 70 ocorrências nos últimos dois anos em suas unidades. Para serem reativadas, as dependências afetadas passam por análise técnica e patrimonial de ordens estratégica e econômico-financeira, para subsidiar decisão sobre a continuidade ou não do funcionamento.

Relembre

O ataque às agências aconteceu na madrugada do dia 29 de setembro do ano passado. Pelo menos 15 pessoas explodiram as agências do Bradesco e Banco do Brasil no Município. Os bandidos utilizaram quatro carros e ação aconteceu simultaneamente nas duas unidades. Os criminosos usaram explosivos para abrir os cofres e ter acesso ao dinheiro. Um vigilante foi feito refém, mas depois liberado.

Além de Potengi, as agências do Banco do Brasil de Nova Olinda, Assaré e Santana do Cariri também foram atacadas e ficaram destruídas. A população do Cariri Oeste sofre com a falta do funcionamento destas unidades em todas suas operações e acabam tendo que se dirigir para os municípios de Crato e Campos Sales, podendo percorrer cerca de 90 km.
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: