Médico diz que cabe a Bolsonaro decidir sobre participação em debates

Após uma nova avaliação clínica nesta quinta-feira (18), o médico responsável pelos cuidados do candidato à Presidência do PSL, Jair Bolsonaro , voltou a afirmar que a participação em debates de TV e em agendas públicas depende do próprio presidenciável. O deputado se recupera de um ataque a faca durante ato em Minas Gerais, em 6 de setembro, mas tem retomado compromissos de campanha em público.

A informação foi confirmada ao jornal O Globo pelo cirurgião Antônio Luiz Macedo, médico do Hospital Albert Einstein, de São Paulo, por um mensagem de WhatsApp, após ele ter deixado a casa de Bolsonaro sem falar com a imprensa. Questionado se o candidato poderia ir a debates e atos de campanha, o cirurgião respondeu: "depende dele."

Um nota oficial, divulgada nesta quinta-feira após a visita de cerca de duas horas, informou que Bolsonaro foi submetido a uma avaliação médica multiprofissional, de exames de imagem e laboratoriais, que se mostraram estáveis. "Apresenta boa evolução clínica e a avaliação nutricional evidenciou melhora da composição corpórea, mas ainda exigindo suporte nutricional e fisioterapia", registra o comunicado. A nota foi complementada quarenta minutos depois informando que a colostomia ainda "permanece como fator limitante relativo".

Nesta quarta-feira (17), Bolsonaro saiu de casa e se encontrou com o cardeal arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, na Arquidiocese do Rio. Em seguida, visitou a sede da Polícia Federal, na Zona Portuária do Rio. Lá, cumprimentou apoiadores, manteve o suspense sobre a participação nos debates e destacou que está "com a mão na faixa" da Presidência.
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: