Estudantes de Assaré vendem rifas para comprar fardamento

Ao serem vendidas, o valor das rifas seriam trocados por fardamento do Mais Educação (Foto: Normando Sóracles/Agência Miséria)
Moradores de Amaro, distrito do município de Assaré, no Cariri, receberam da escola municipal Maria Célia Ferreira a notícia de que teriam que vender rifas para pagar o fardamento dos filhos. 
A história foi contada com exclusividade ao Miséria pelos próprios moradores no último domingo (1), em um vídeo gravado no local. Assista abaixo.

As rifas, de acordo com os pais, são para adquirir os fardamentos do Projeto Mais Educação, já o uniforme das escolas, é preciso investir R$ 27,00 por aluno, diz ainda a dona de casa Fabrícia, mãe de dois estudantes. Cada rifa custa R$ 2 reais e tem como prêmio uma cesta básica, o sorteio acontece no próximo dia 20, sexta-feira.

De acordo com apuração do Miséria, não há obrigatoriedade para compra do uniforme escolar.
 
Ao serem vendidas, o valor das rifas seriam trocados por fardamento do Mais Educação (Foto: Normando Sóracles/Agência Miséria)

Cada aluno teria recebido 10 bilhetes. Eles deveriam vender e trocar o valor arrecadado por um kit de fardamento. Os meninos e meninas que aparecem no vídeo, gravado no ultimo domingo (1), contam que mesmo após terem vendido todas as rifas, ainda não haviam recebido os uniformes. 

O Programa Novo Mais Educação é uma estratégia do Ministério da Educação que tem como objetivo melhorar a aprendizagem em língua portuguesa e matemática no ensino fundamental, por meio da ampliação da jornada escolar de crianças e adolescentes, otimizando o tempo de permanência dos estudantes na escola.

OUTRO LADO

O Miséria entrou em contato com a Secretária de Educação de Assaré, Maria Edelvanha de Sousa dos Santos. Ela alega que desconhece o teor da informação e justifica que o Programa Mais Educação ainda não teve início no município e, portanto, não tem fundamento que haja rifa para compra dos uniformes no momento.

Já a coordenadora do Programa Mais Educação na cidade, Silvânia Belisário da Silva, diz que monitores e professores se organizaram para confeccionar fardamentos próprios do programa, que tradicionalmente não é oferecido aos alunos. "Alguns pais se interessaram e partiu deles mesmos a ideia de promover uma rifa para a compra das fardas", justifica.

Assista ao vídeo
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: