Com blitz e vistorias, operação com cerca de 300 PMs reforça segurança no Ceará até esta segunda-feira


Cerca de 300 agentes de segurança reforçam, a cada dia, a vigilância na Grande Fortaleza e no interior do estado desde a última sexta-feira (6), na Operação Raça de Fortes, organizada pela Polícia Militar do Ceará (PMCE). O trabalho deve terminar na manhã desta segunda-feira (9). A operação foi montada para atuar em regiões com grandes registros de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs) no estado.

O Ceará teve neste ano o mês de fevereiro mais violento da série histórica, com 456 homicídios em 29 dias. Os dados foram divulgados na sexta-feira pela Secretaria da Segurança Pública. A violência disparou após o motim de parte da Polícia Militar. Durante o 13 dias da movimento, foram 312 homicídios, uma média de 26 por dia. Antes do motim, a média era de oito por dia.

A operação atua em duas frentes, de acordo com o Capitão Cordeiro, do 8º Batalhão da PM, supervisor dos trabalhos em Fortaleza. “Nós estamos fazendo as rondas em viaturas e motocicletas. São dois tipos de ações. A blitz barreira, em parceria com órgãos de trânsito, para buscas em veículos, e operações em cantos mais sensíveis, com vistorias individuais”, explica.

Na capital cearense, a Polícia Militar atua em pontos estratégicos, informa Cordeiro. “Nós estamos atuando simultaneamente em dez grandes áreas, cada uma com um batalhão responsável”. Ainda segundo o agente, reforços no policiamento desse tipo são comuns para reduzir casos em regiões com altos índices de criminalidade. “Nós analisamos os índices de homicídio, os índices de roubos e furtos, e a partir disso organizamos operações nessas áreas”, detalha Cordeiro.

Participam da força-tarefa o Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio), o Comando de Policiamento de Choque (CPChoque), o Comando de Policiamento Especializado (CPE) e ainda o Policiamento Ostensivo Geral (POG).
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: