Brasil tem 18 mortes por coronavírus, 15 delas em São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou no último sábado (21) que o número de mortes por coronavírus no estado subiu de nove para 15.

O estado também tem 34 pacientes em UTI (unidade de terapia intensiva) em decorrência da Covid-19 e 9.000 possíveis casos de infecção pelo novo coronavírus Sars-CoV-2.
Das 15 mortes, 14 são de pessoas acima de 60 anos -a exceção é um homem de 49 anos que tinha tuberculose. Apenas um deles estava em hospital da rede pública de saúde.
Os novos óbitos são de quatro mulheres (duas de 89 anos, uma 76 e outra de 73 anos) e dois homens (um de 90 e outro de 49, citado acima).
Segundo o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, uma médica generalista que tinha doenças crônicas e estava internada desde o fim de fevereiro morreu na sexta (20) no Hospital Sancta Maggiore. "Quando ela foi para o hospital, não tinha indício de insuficiência respiratória", disse.
Na sexta (20) à noite, a Prefeitura de Petrópolis, no Rio de Janeiro, anunciou a primeira morte por coronavírus na cidade, a terceira no estado. As duas primeiras mortes pela doença aconteceram nas cidades de Miguel Pereira e Niterói.
No total, são 18 mortes no país.
A vítima de Petrópolis é um homem de 65 anos, que estava internado em hospital privado desde que retornou de viagem ao Egito. Sua esposa, que ainda aguarda resultado do teste, está internada em UTI. O paciente havia entrado na lista de casos confirmados durante a tarde.
Petrópolis tem mais um caso da doença confirmado e investiga outros 24.
O número de casos confirmados da infecção no Brasil subiu de 904 para 1.128 neste sábado (21).
Segundo o Ministério da Saúde, a maior parcela de registros está em São Paulo, com 459 casos confirmados, com a maior taxa de mortalidade do país, de 3,3% dos casos.
Também há registros no Rio de Janeiro (119), Minas Gerais (38), Espírito Santo (26), Distrito Federal (100), Goiás (20), Mato Grosso do Sul (16), Mato Grosso (2), Rio Grande do Sul (60), Paraná (43), Santa Catarina (51), Pernambuco (30), Ceará (68), Sergipe (10), Bahia (41), Paraíba (1), Piauí (4), Rio Grande do Norte (6), Alagoas (7), Rondônia (1), Tocantins (2), Pará (2), Amazonas (11), Amapá (1) e Acre (9).
O Maranhão confirmou seu primeiro caso neste sábado. Após a a divulgação dos números pelo Ministério da Saúde, Roraima, que até então era único estado brasileiro que não havia registrado infecção, confirmou os primeiros dois casos. O anúncio foi feito pela prefeita da cidade de Boa Vista, Teresa Surita (MDB).
O Sudeste concentra 56,9% do casos, seguido pelo Nordeste (14,9%), Sul (13,7%), Centro-Oeste (12,2%) e Norte (2,3%).
TRANSMISSÃO SUSTENTADA
Em portaria divulgada na sexta, o Ministério da Saúde afirmou que todo o país tem a transmissão sustentada da doença, que acontece quando não é possível identificar a origem do vírus.
A pasta alterou o protocolo e afirma que todos os casos de gripe devem ser tratados pelo sistema de saúde como se fossem casos de Covid-19. As determinações incluem o isolamento de 14 dias da pessoa e de seus familiares.
Os médicos deverão fornecer atestados de saúde para afastamento tanto para os pacientes quanto para os familiares para que todos possam se isolar.
FOLHAPRESS

CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: