Após repercussão negativa de entrevista, Drauzio Varella pede desculpas: "Assumo a responsabilidade"


O médico Drauzio Varella divulgou, na tarde desta terça-feira (10), um novo esclarecimento a respeito da reportagem sobre a condição de transexuais em cadeias veiculada pelo Fantástico no dia 1º de março. Em vídeo publicado nas redes sociais, ele conta que soube do crime cometido por Suzi Oliveira somente no domingo (8), quando foi revelado que ela foi condenada pelo homicídio de um menino de nove anos.
"Ser médico orienta o meu olhar em todas as situações, não só quando estou atendendo pacientes", diz Drauzio
— Não há o que falar. É um crime que choca a todos nós.
Em seguida, Drauzio cita uma nota publicada ainda no domingo, na qual disse que "é médico, e não juiz", e pede desculpas à família do menino assassinado.

— Ser médico orienta o meu olhar em todas as situações, não só quando estou atendendo pacientes. Faço isso há mais de 50 anos (...) Posso imaginar a dor e peço desculpas para a família do menino que foi involuntariamente envolvida no caso — diz o médico antes de reafirmar que a reportagem estava focada na condição das entrevistadas, independentemente do crime que tivessem cometido: 
— Na matéria em questão, o foco era mostrar as condições que vivem as transexuais presas. As estatísticas indicam que a imensa maioria delas está presa por roubo e furto. A maneira pela qual a Suzi foi apresentada deu a entender que ela fazia parte desse grupo majoritário. Por isso, entendo a frustração de quem se decepcionou comigo. 

Drauzio ainda explica o contexto da cena que viralizou nas redes sociais após a exibição da reportagem: o momento em que ele abraçou Susi. Ele também afirma que assume "a responsabilidade pela repercussão negativa que o caso teve".

— Eu terminei a entrevista, que foi uma entrevista longa, e ela ficou de cabeça baixa quando eu perguntei há quanto tempo ela não recebia visita (...) Ela se virou pra mim com um olhar tão triste que me comoveu. Eu dei um abraço nela. Pra quem acha que eu errei, desculpa, mas esse é meu jeito. Eu lamento, mas assumo totalmente a responsabilidade pela repercussão negativa que o caso teve. 
No encerramento, o médico ainda falou sobre os boatos de que iria se envolver com política:

— Agora, eu gostaria de dizer claramente, e sem nenhuma chance de que eu volte atrás no futuro, que nunca fui e nem serei candidato a nada. As pessoas que estão explorando esse politicamente esse episódio podem ficar tranquilas — finaliza.

Assista ao depoimento na íntegra


Globo também se pronuncia

No Jornal Nacional desta terça-feira, após exibir o esclarecimento de Drauzio, o âncora William Bonner apresentou um posicionamento da Globo a respeito do caso: 

— Pelos mesmos motivos que o doutor Drauzio, o Fantástico e a Globo pedem desculpas à família e a todos os espectadores. A trans Suzi não foi presa por roubo nem furto, ela cumpre pena por estupro e assassinato de um menino. Apenas depois da exibição do quadro, o Fantástico tomou conhecimento da gravidade do crime e, só hoje, a Globo se manifesta com mais clareza no assunto, porque respeitou protocolos de segurança, protocolos que autoridades públicas não seguiram. 


CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: