Urnas usadas para as eleições de 2020 apresentam falhas após teste

Um grupo de peritos da Polícia Federal conseguiu encontrar falhas superficiais no sistema; TSE garante que elas não comprometem o sigilo do voto
Um grupo de peritos da Polícia Federal conseguiu encontrar falhas superficiais no sistema; TSE garante que elas não comprometem o sigilo do voto | Fábio Pozzebom/Agência Brasil
OTribunal Superior Eleitoral (TSE) encerrou nesta sexta-feira (29) o período de cinco dias seguidos de testes públicos para confirmar a segurança do processo de votação das urnas eletrônicas que serão utilizadas nas eleições municipais de 2020. Segundo o TSE, um grupo de peritos da Polícia Federal (PF) conseguiu encontrar falhas superficiais no sistema, que não comprometeram o sigilo do voto. 
Durante o período de testes, o TSE abriu parte dos 30 mecanismos de segurança do equipamento para que os peritos pudessem violar o sistema. Dessa forma, segundo o tribunal, os peritos da PF conseguiram alterar informações secundárias, mas os dados sobre os eleitores e os candidatos permaneceram inviolados. 
Segundo a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, as pequenas falhas encontradas são importantes para melhorar o sistema da urna. "O objetivo deste evento foi de fortalecer o sistema eletrônico de votação, verificar se os recursos implementados na urna atendem as necessidades de segurança", afirmou a ministra. 
(Agência Brasil)
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: