Governo utiliza aeronaves C-130 Hércules para combater incêndios na Amazônia

O Ministério da Economia aprovou a liberação imediata de R$ 38,5 milhões para o Ministério da Defesa. O valor a ser desbloqueado atende a um pedido feito pela pasta para as operações de combate a queimadas na Amazônia. 
Aeronaves C-130 Hércules atuam no combate aos incêndios. | Divulgação/FAB
"Feitas as primeiras estimativas de valor, considerando o cenário fiscal vigente, o Ministério da Economia aprovou a liberação imediata de R$ 38,5 milhões, procurando atender de forma emergencial pleito apresentado pela Defesa", afirma a pasta em nota. 
O ministério comandado por Paulo Guedes ainda afirma estar acompanhando a evolução do tema e diz que tomará as providências necessárias, em conjunto com a Defesa, para atender o decreto que emprega as Forças Armadas para combater o fogo na região. 
O decreto de sexta-feira (23) autorizou o emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem na Amazônia Legal. O objetivo é criar ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais e fazer levantamento e combate a focos de incêndio. 
Ontem (24), a Força Aérea Brasileira (FAB) começou a usar duas aeronaves C-130 Hércules no combate aos focos de incêndio, os aviões saem de Porto Velho (RO). De acordo com a FAB, o C-130 tem um sistema que pode carregar até 12 mil litros de água.
As aeronaves sobrevoam a área de incêndio a aproximadamente 46 metros de altura e o lançamento dura sete segundos, seguindo uma linha de 500 metros. Após isso o avião retorna para Porto Velho, que é ponto de apoio, e reabastece.
Além das duas aeronaves outras quatro Air Tractor, do ICMBio, também estavam sendo usadas no sábado deFormosa (GO) a Porto Velho para reforçar o combate as chamas.
FOLHAPRESS
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: