Em apenas quatro meses de 2019, 828 pessoas foram assassinadas no Ceará

Mais de 800 pessoas já foram assassinadas, neste ano, no Ceará. De acordo com levantamento estatístico realizado pelo site CN7, entre os dias 1º de janeiro e 30 de abril, 818 homicídios foram registrados no estado. E nos dois primeiros dias de maio, mais 10 casos já ocorreram, totalizando nesta manhã de sexta-feira (3), nada menos, que 828 homicídios, latrocínios, lesão corporal seguida de morte, óbitos por intervenção policial e mortes violentas em unidades do Sistema Penitenciário cearense.
Na contagem geral do ano, de 1º de janeiro a 2 de maio, o Ceará registrou 767 Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs), 59 mortes do intervenção policial, além de dois óbitos registrados dentro do Sistema Penal, totalizando, portanto, 828 mortes violentas.

O mês de abril foi, até agora, o mais violento deste ano, com 225 assassinatos. O mês com menor registro foi fevereiro, com 164 CVLIs e 9 mortes por intervenção policial, somando 173 crimes.

A retomada da guerra entre as facções criminosas e os constantes confrontos entre a Polícia e bandidos armados têm contribuído para a elevação dos assassinatos no Ceará, muito embora a Capital cearense tenha apresentado uma queda significativa nos números de homicídios nos quatro primeiros meses de 2019.

Zona de violência

Em contrapartida à queda dos assassinatos na Capital, a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) tornou-se a zona com maior índice de assassinatos no estado. Somente no mês de abril, 80 pessoas foram mortas nesta área.

Em Caucaia, ocorreram 28 homicídios, além de outros 10 em Maranguape e mais 10 em Maracanaú. Outros 32 crimes aconteceram em Aquiraz (8), São Gonçalo do Amarante (4), Pacatuba (4), Eusébio (3), Chorozinho (3), Cascavel (3), Horizonte (3), Itaitinga (2), Pacajus (1), e Pindoretama (1).

Em Fortaleza, foram registrados 54 assassinatos no mês de abril. Destes, 13 ocorreram em apenas uma Área Integrada de Segurança, a AIS-2, sendo 8 no Bom Jardim, 2 na Granja Lisboa, 2 no Siqueira e um na Granja Portugal. Antes, estes bairros eram considerados integrantes do “Território da Paz”, na zona Sul da Capital cearense.

Ceará News
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: