No mesmo dia de tragédia que deixou 10 mortos, Bolsonaro anunciou que vai flexibilizar porte de armas



No mesmo dia em que dois jovens invadiram uma escola em Suzano, na Grande São Paulo, e abriram fogo contra estudantes e funcionários, deixando oito mortos e 17 feridos antes de se matarem, o presidente Jair Bolsonaro disse que está preparando um projeto para ser encaminhado ao Congresso flexibilizando o porte de armas pela população; segundo ele, a regra não pode ser tão "rígida" como a atual

13 DE MARÇO DE 2019

No mesmo dia em que dois jovens invadiram uma escola em Suzano, na Grande São Paulo, e abriram fogo contra estudantes e funcionários, deixando oito mortos e 17 feridos antes de se matarem, o presidente Jair Bolsonaro disse que está preparando um projeto para ser encaminhado ao Congresso flexibilizando o porte de armas pela população.

Segundo ele, a regra sobre o porte de armas não pode ser tão "rígida" como atualmente, embora não tenha fornecido maiores detalhes sobre o texto que pretende encaminhar ao Congresso sobre o assunto. 

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, a declaração de Bolsonaro foi feita durante um encontro com jornalistas pouco antes da tragédia registrada em Suzano ser noticiada pela imprensa. No encontro, ele também disse dormir com uma arma ao lado da cama porque teme a existência de "riscos" no Palácio do Alvorada, apesar da existência de um forte esquema de segurança no local.

Em janeiro, como um de seus primeiros atos de governo, Bolsonaro editou um decreto flexibilizando a posse de armas pela população sob a alegação de que isso ajudaria a combater a violência.

CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: