CFM regulamenta telemedicina para viabilizar atendimentos no Interior

De acordo com a Resolução nº 2.227/18, do Conselho Federal de Medicina (CFM), Médicos brasileiros poderão realizar consultas online, telecirurgias e telediagnósticos, entre outras formas de atendimento à distância.

O texto estabelece a telemedicina como exercício da medicina mediado por tecnologias para fins de assistência, educação, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde, podendo ser realizada em tempo real ou off-line.
Por meio de nota, o conselho avaliou que as possibilidades que se abrem com a mudança normativa são “substanciais”, mas precisam ser utilizadas por médicos, pacientes e gestores “com obediência plena” às recomendações.
No âmbito da saúde pública, o órgão considera a inovação “revolucionária” ao permitir a construção de linhas de cuidado remoto, por meio de plataformas digitais.
Para o Conselho Federal de Medicina, além de levar saúde de qualidade a cidades do interior do Brasil, que nem sempre conseguem atrair médicos, a telemedicina também beneficia grandes centros, pois reduz o estrangulamento no sistema convencional causado pela grande demanda, ocasionada pela migração de pacientes em busca de tratamento.


A resolução deve ser publicada esta semana no Diário Oficial da União.
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: