Em meio a onda de ataques, Governo remaneja 500 presos ligados a facções

Cerca de 500 presos ligados a facções criminosas foram remanejados de presídios no Ceará nas últimas 48 horas. A informação é uma estimativa do Conselho Penitenciário do Estado (Copen).
Segundo o órgão, a intenção das transferências, feitas dentro do próprio sistema, tem sido aliviar o contingente de internos “nas unidades prisionais e facilitar as ações de vigilância e disciplina” conduzidas pela Secretaria da Administração Penitenciária (Seap), chefiada pelo policial civil Mauro Albuquerque.

Desde a última quarta-feira, 2, pelo menos 60 ataques foram deflagrados contra ônibus, vans, veículos particulares, prédios públicos, agências bancárias, dois viadutos e estabelecimentos privados na Grande Fortaleza e municípios do Interior.

A onda de atentados, a maior da história do Estado, é atribuída às facções criminosas que atuam no Ceará, que teriam reagido à nova política de endurecimento nas penitenciárias prometida pelo titular da Seap. Hoje, os presos vinculados a esses grupos cumprem pena em unidades destinadas a cada organização.

A Polícia já prendeu aproximadamente 50 pessoas e indiciou outras 250 que já se encontram nos presídios por suspeita de envolvimento com os crimes.

As visitas aos internos das Casas de Privação Provisória de Liberdade 1 e 3, ambas no complexo de Itaitinga, na região metropolitana, foram suspensas na manhã deste sábado.

Fonte: O Povo
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: