Vara especializada assume caso de Milagres; oito presos serão ouvidos hoje

A Vara Especializada em Delitos de Organizações Criminosas realiza hoje a primeira audiência de custódia com os oito presos suspeitos de participarem da tentativa de assalto a dois bancos em Milagres (a 484 km de Fortaleza), no Cariri, no último dia 7. A ação, impedida pela Polícia Militar, resultou em 14 mortos - seis reféns e oito criminosos.
A tomada dos depoimentos será feita em Juazeiro do Norte, também no Cariri. A segurança na cidade foi reforçada, inclusive com participação de numeroso contingente policial deslocado de Fortaleza para o município. As audiências começam logo pela manhã e se estendem pela parte da tarde.

Na ação, morreram o empresário João Batista Magalhães, 46; o filho Vinícius Magalhães, 14; Claudineide Campos de Souza, 42; o marido Cícero Tenório dos Santos, 60; o filho do casal, Gustavo Tenório dos Santos, 13 - todos naturais de Serra Talhada, no interior de Pernambuco. Entre as vítimas também está a cearense Francisca Edneide da Cruz Santos, 49.

À reportagem, o Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE) admitiu que a vara especializada assumiu o caso de Milagres. O TJ-CE, porém, não divulgou a data da audiência em Juazeiro, onde os presos estão mantidos depois de terem sido transferidos da Delegacia de Brejo Santo na semana passada.

"Por motivo de segurança, o TJ-CE não fornece informações prévias sobre a realização de atos processuais em feitos sob competência da VDOC", disse a Corte, por nota.

Criada após as chacinas das Cajazeiras (14 mortos) e do Benfica (sete mortos), ambas neste ano, a Vara em Delitos de Organizações Criminosas acumula dois mil processos. Parte deles, oriunda de outras varas, já estava em andamento.

A reconstituição das mortes em Milagres deve ser feita amanhã, segundo fonte que acompanha a elucidação dos assassinatos. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) não confirma a informação.

Nas primeiras horas depois do crime, policiais recolheram imagens captadas por câmeras de segurança de duas farmácias e um mercado, disseram testemunhas. Os registros teriam sido levados para a perícia, que também analisa armamento recolhido na cena.

A pedido do governador do Estado Camilo Santana (PT), a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública (CGD) abriu investigação preliminar para apurar a conduta dos agentes envolvidos na operação no município. Ao todo, 12 policiais foram afastados das atividades de rua enquanto durarem as investigações. Camilo anunciou ainda a criação de um grupo, composto por delegacias de Fortaleza, Brejo Santo e Milagres, encarregado dos trabalhos.

Na última sexta-feira, 14, familiares e amigos das vítimas da tragédia de Milagres realizaram uma missa em frente às duas agências bancárias que seriam alvo dos assaltantes. Velas foram acesas nos pontos exatos onde as seis pessoas teriam sido mortas.

Ao O POVO, uma autoridade de Milagres que preferiu não se identificar afirmou que "houve excesso" da Polícia na ação.

Números

14 pessoas morreram na tragédia em Milagres: seis reféns e oito criminosos

12 PMs que atuaram na operação em Milagres estão afastados.

O POVO
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: