Enem 2018: prova aborda negritude, nazismo, ditadura militar e manipulação na internet


(Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil).

O primeiro dia de prova do Enem trouxe questões sobre feminismo, nazismo, escravidão, regime militar, crise de refugiados, entre outros. Já o tema da redação foi “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”.

Entre as questões da prova, uma abordava um dicionário criado somente para o vocabulário usado por travestis. Outra de inglês utilizou um trecho do clássico livro do escritor inglês George Orwell, “1984”, no qual o herói da narrativa, Winston, conversa com o colega O’ Brien sobre o controle do partido. Houve outra sobre verbos no modo imperativo, que apresentou uma peça publicitária sobre violência contra a mulher.

Mais de 5,5 milhões de estudantes fizeram provas de linguagem, ciências humanas e redação em mais de 1,7 mil municípios neste domingo (4). O exame segue no dia 11 de novembro, quando serão aplicadas as provas de ciências da natureza e matemática.

A nota do exame poderá ser usada para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Veja os temas da redação de edições anteriores do Enem, desde que foi reformulado, em 2009:

Enem 2009: O indivíduo frente à ética nacional
Enem 2010: O trabalho na construção da dignidade humana
Enem 2011:  Viver em rede no século XXI: Os limites entre o público e o privado
Enem 2012: O movimento imigratório para o Brasil no século XXI
Enem 2013:  Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil
Enem 2014: Publicidade infantil em questão no Brasil
Enem 2015: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira
Enem 2016: Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil e Caminhos para combater o racismo no Brasil – Neste ano houve duas aplicações do exame
Enem 2017: Desafios para formação educacional de surdos no Brasil 

(Com informações da Agência Brasil, O Globo e Revista Fórum).

CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: