Desembargador reconsidera decisão e manda Ilário Marques reassumir a Prefeitura de Quixadá

O desembargador Lincoln Araújo, do Tribunal de Justiça do Ceará, reconsiderou sua decisão de afastamento e determinou a reintegração do prefeito de Quixadá, Ilário Marques (PT), no cargo. A decisão foi proferida nesta tarde de sexta-feira.

“Em que pese a gravidade das acusações contra o agravante, enquanto prefeito municipal, não há evidências, até o momento, de que sua manutenção no cargo prejudicaria as investigações que anda estão em curso sob comando do Ministério Público Estadual”, expõe, em sua decisão, o desembargador, no que Ilário Marques reassume de imediato. O petista estava afastado das funções desde 16 de agosto último.

Na última quarta-feira, a Câmara Municipal de Quixadá rejeitou pedido de impeachment contra Ilário Marques (PT). O pedido deu entrada na Casa no último dia 14, por meio da advogada Flavia Regina Cabral de Oliveira, ligada ao grupo político do médico Ricardo Silveira, derrotado por Ilário no último pleito eleitoral de 2016.

A denúncia solicitava à Câmara Municipal a apuração de suposta infração político-administrativa, orçamentária e financeira e por improbidade administrativa, com pedido de impeachment a desfavor de Ilário Marques.

A votação se deu nominalmente. Cada vereador expressou o voto e fez sua justificativa, sendo que 09 (nove) votaram pelo arquivamento, 07 (sete) pelo acolhimento, e 01 (um) ausente (licença).

Ao analisar o conteúdo da denúncia, a maioria dos vereadores de Quixadá votou pelo arquivamento por entender que a peça era vazia e não trazia fatos consistentes que pudessem atribuir qualquer responsabilidade ao prefeito Ilário Marques.

Operação Fiel da Balança

O petista fora afastado pela Operação intitulada Fiel da Balança que, em agosto último, teve objetivo de combater crimes de falsidade e desvio de verba pública do serviço de coleta de resíduos sólidos de Quixadá. Ainda de acordo com o órgão, a infração consistia na adulteração dos documentos, que informavam quantidades superiores de entrada de lixo no aterro sanitário do município. A Justiça também rompeu sigilos bancário e fiscal dos alvos da operação.

Foram cumpridos na época mandados de busca e apreensão na sede da Prefeitura de Quixadá, nas casas de agentes públicos e privados nas comarcas de Fortaleza e Quixadá “bem como na sede da empresa RPC Locações e Construções Eireli – EPP, representada pelo empresário Paulo César Mendonça de Holanda”, diz informe do MPCE.

Ilário se manifestou nessa ocasião por nota publicada em seu Facebook. No comunicado, disse que a ação do MPCE baseava-se em “narrativa maldosa e irresponsável do empresário Ernani Teles Castro Junior”, proprietário do primeiro aterro sanitário particular do Estado.
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: