Cidades do Ceará têm atendimentos hospitalares prejudicados com saída de médicos cubanos


Em todo Ceará, o Programa Mais Médicos contemplava 115 municípios, com mais de 400 médicos cubanos atendendo a população. Com o fim do convênio Brasil-Cuba, a falta dos profissionais na rede pública já repercute, principalmente, no atendimento a moradores do interior do Ceará.

Um levantamento feito pelo Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), obtido pelo G1, aponta que pelo menos 285 cidades em 19 estados do Brasil devem ficar sem médicos com a saída dos cubanos. O Conasems ainda não tem dados sobre o Amazonas, Amapá, Ceará, e Espírito Santo. Os órgãos de saúde do Estado tambem não souberam informar quantos médicos já deixaram o solo cearense.

Uma das pacientes que ficaram desassistidas após a saída dos profissionais cubanos foi a dona de casa Márcia Vieira, mãe de Gabriel, de 10 meses, que não conseguiu atendimento em Iguatu, nesta semana. Ela lamentou a ausência dos profissionais de saúde.

Por Theyse Viana, G1 CE
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: