A presidência da República é o lugar errado para Jair Bolsonaro

Da Coluna Política, do jornalista Érico Firmo, no O POVO destra terça-feira (2), o tópico “No lugar errado”. Confira

Campanhas eleitorais estão sempre repletas de candidatos a mandatos legislativos que prometem ações típicas do Poder Executivo. Levar saúde, educação, segurança e por aí vai. Isso não é algo no qual deputados e senadores possam intervir diretamente.

Jair Bolsonaro (PSL), por outro lado, é candidato a presidente cujas propostas, em grande parte, são prerrogativas do Congresso Nacional. Ele pouco fala do que pretende fazer na saúde. Na educação, quase se limita a falar de escolas militares, numa nítida dificuldade de sair da estreita lógica na qual atua. Mesmo na segurança, a pública, não fala muito do que irá fazer.

Por outro lado, facilitar porte de armas, rara proposta que defensores de Bolsonaro têm na ponta da língua, é prerrogativa do Congresso. Na semana passada, em entrevista à Jovem Pan, ele falou de outra medida, que é mudar a lei penal. Foi ao falar da punição a Adélio Bispo, homem que o esfaqueou. “Por que a pena dele (Adélio) tem de ser abaixo de um homicídio em si? Vamos mudar isso no futuro, se Deus quiser, caso eu seja Presidente. E mais ainda: vamos acabar com a progressão de pena”.

Para nada disso precisa ser presidente. Isso pode ser feito por parlamentar. Coisa que Bolsonaro é há 27 anos.
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: