Lula vai processar a Netflix

“Não vou ser preso porque não cometi nenhum crime”
O presidente Lula encerrou nessa quarta-feira 28/II, em Curitiba, a caravana pelo Sul do país, quando foi vítima de ataques fascistas: “quem estimula o ódio é a Rede Globo", disse ele a certa altura.
Ele anunciou que vai processar a Netflix do Padilha no Brasil, nos Estados Unidos, na Europa, porque fez um filme “para não aparecer a cara da Globo", explicou.
Ele prometeu fazer uma nova Constituição ou convocar um “referendo revogatório" para rasgar tudo o que os golpistas fizeram contra a soberania nacional.
Já que tem certeza de que não será preso, pois “não cometi nenhum crime".
Por diversas vezes, Lula insistiu em que não há provas contra ele e que é vítima de uma matéria do Globo – única “prova" que o Moro tem - e da sequência de mentiras da Polícia Federal, do Ministério Público e do Moro, “que aceitou uma peça mentirosa".
(Sobre o Ministério Público ele se mostrou indignado com o MP que proibiu o reitor da Unipampa – que ele, Lula, fundou em 2005 e hoje tem 11 mil alunos e 10 campi – de recebê-lo: “não respeitou a autonomia universitária", denunciou Lula.)
Ele acusou Moro de ter sumido com a empresa lavadora de dinheiro Mossack Fonseca, dona do triplex ao lado do que não é dele, no Guarujá:
- Quando viram que essa empresa offshore era dona do triplex (da família Marinho) em Paraty e de um helicóptero da Globo, a offshore desapareceu e eu fiquei na Lava Jato!
Eles estão desesperados, porque não têm candidato.
Tem um que ele se recusa a nomear (Bolsonaro).
E “inventaram até um do caldeirão", ele lembrou o Huck.
E revelou o ministério do Huck presidente:
- Míriam Leitão, Ministra da Economia;
- William Waack, Ministro da Igualdade Racial;
- e porta-voz, o William Bonner, porque ele é “maravilhoso para mentir".
Lula revelou que, quando houve as manifestações de 2013, o presidente da Turquia, Erdogan, ligou para Dilma e disse: esses movimentos não são para melhorar a vida do povo; isso é coisa dos Estados Unidos.
Ele acha que o ódio começou na Copa, quando xingaram a Dilma no Itaquerão.
A certa altura de seu discurso, ele gozou os fascistas que disparavam rojões em direção ao palanque: “não gastem os rojões. Depois não vão ter dinheiro para comprar o que vão soltar na minha posse!"
Eleito, ele prometeu federalizar o ensino médio e fazer com que quem ganhe até cinco salários mínimos não pague Imposto de Renda e os ricos paguem mais.
“Se eles acham que eu sou o problema, o Lula é só um ser humano. Já tem milhões e milhões de mulheres e homens como o Lula. Eles não vão conseguir prender ideias nem sonhos. Se pensam que vão me calar, vou falar por vocês. Deixem o rio correr para o mar e aceitem a derrota", concluiu.

Fonte: PHA
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: