Na Papuda, Maluf passa noite mal, sem dormir e angustiado, diz defesa


A primeira noite do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), 86, no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, foi de pouco descanso e muita ansiedade, de acordo com seu advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que se encontrou com o político na tarde deste sábado (23).

"Ele passou muito mal, não conseguiu dormir. Ele toma uma série de remédios, e tem todo o componente de ansiedade. É uma angústia grande, está casado há mais de 60 anos e passará o Natal sem a família", descreveu Kakay. "Ele está mal de cabeça e mal fisicamente também", disse o advogado, citando uma dor na lombar que faz com que Maluf tenha que se locomover com o auxílio de uma muleta.

Os problemas de saúde e a idade avançada do político foram usados pela defesa como argumento para que o deputado pudesse cumprir prisão domiciliar, mas a decisão foi negada provisoriamente pelo juiz substituto do Tribunal de Justiça do Distrito Federal Bruno Aielo Macacari, na noite de sexta (22).

O magistrado, no entanto, ressaltou que a decisão é provisória e pode ser alterada a partir da análise do laudo de perícia do Instituto Médico Legal - realizada quando Maluf chegou a Brasília, na sexta - e das informações fornecidas pela equipe médica do complexo da Papuda. As avaliações deverão ser encaminhadas ao TJ até 26 de dezembro.

Uol
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: