Por atraso de pagamento, proprietários de carros-pipa paralisam atividades em todo o Ceará

Paralisação dos pipeiros afeta um milhão de cearenses
Como se não bastasse a crise hídrica que assola o Estado, a maioria dos reservatórios secos, para piorar a população do interior cearense deve sofrer uma ameaça de colapso total no abastecimento. Os proprietário de carros-pipa em atividade no Ceará, que estão atendendo o programa emergencial Operação Carro-Pipa do Governo Federal, coordenado no Estado pelo Exército Brasileiro, pretendem paralisar as rotas de atendimento às comunidades de todos os municípios cearenses nesta segunda-feira (6). A divulgação foi feita pelo presidente do Sindicato dos Pipeiros do Estado do Ceará (Sinpece), Eduardo Aragão.
Resultado de imagem para carros pipa
Aragão observa que mais de dois mil pipeiros de todo o Estado vão aderir à paralisação, em protesto ao atraso no pagamento, redução nos valores do quilômetro rodado e também problemas no sistema de monitoramento veicular utilizado para rastrear os carros-pipa, conhecido como GRipa. A medida deverá prejudicar mais de um milhão de cearenses. A contratação, seleção, fiscalização e pagamento dos pipeiros é uma atribuição do Comando de Operações Terrestres (Coter) do Exército Brasileiro. Conforme o Ministério da Integração em maio deste ano o Governo Federal havia liberado R$ 192 milhões para o programa. A estimativa de investimento este ano na ação emergencial é de mais de R$ 1 bilhão.
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: