Volume hídrico no Ceará é de apenas 11% e preocupa governo

As reservas hídricas cearenses continuam com volumes muito baixos e despertam mais preocupação. De acordo com a Funceme, o volume varias entre 10% e 11%. O presidente do órgão, Eduardo Sávio, está em Buenos Aires, na Argentina, para participar de um evento sobre monitoramento climático. Segundo ele, as projeções sobre o inverno de 2018, para o estado, só poderão ser feitas a partir do fim deste ano.

Ele afirma que este período do ano é de altas temperaturas e sem chuvas. Os principais açudes , Orós e Castanhão, que abastecem a capital e a Região Metropolitana não pegaram carga. O Castanhão, atualmente, está com menos de 6% de sua capacidade.

Eduardo Sávio torce para que as obras da transposição do rio São Francisco fiquem prontas mesmo em março de 2018. De acordo com o Governo Federal, que prometeu prioridade e continuidade – sem interrupções – nas obras do trecho entre Salgueiro (PE) e Jatí (CE), as obras devem ser concluídas no início de 2018.

Ceará Agora
CURTA ESSA MATÉRIA PELO FACEBOOK: